CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



terça-feira, 17 de abril de 2007

Rosas para o Dia Mundial do Livro - Quadras de Fernando Pessoa

Rosa verde, rosa verde...
Rosa verde é coisa que há ?
É uma coisa que se perde
Quando a gente não está lá...

Trazes a rosa na mão
E colheste-a distraída...
E que é do meu coração
Que colheste mais sabida ?

Tens uma rosa na mão,
Não sei se é para me dar.
As rosas que tens na cara
Essas sabes tu guardar...

Levas uma rosa ao peito
E tens um andar que é teu...
Antes tivesses o jeito
De amar alguém, que sou eu.

A rosa que se não colhe
Nem por isso tem mais vida.
Ninguém há que te não olhe
Que te não queira colhida.

Roseiral que não dá rosas
Senão quando as rosas vêm,
Há muito que são formosas
Sem que o amor lhes vá bem.

Dona Rosa, Dona Rosa,
De que roseira é que vem,
Que não tem senão espinhos
Para quem só lhe quer bem?

Dona Rosa, Dona Rosa,
Quando eras inda botão
Disseram-te alguma coisa
De a flor não ter coração?

Floriu a roseira toda
Com as rosas de trepar...
Tua cabeça anda à roda
Mas sabes-te equilibrar.



Fernando Pessoa

[Fernando Pessoa, Quadras,
Edição de Luísa Freire,
Assírio & Alvim,
ISBN972-37-0646-6]

Sem comentários: