Partilhando leituras

Livros sobre Caldas da Rainha, Rainha D. Leonor, Bordalo Pinheiro, caricaturas,

cerâmicas, gatos e algo mais...

terça-feira, 8 de abril de 2008

As Imagens e as Palavras


O OSSO

"No verde manto do tempo, Luís,
Um osso alveja: resto do almoço
campestre ou rupestre ferramenta?

A montante, algum dente o esburgou,
alguma boca lhe comeu a carne.

Instrumento, ou despojo para trás das costas
jogado, o osso vai ser coberto
pela neve fria, a seu tempo.

Não pranteies, Luis, sobre a sazonal
presença , em fundo verde ou branco,
do osso, que não podemos nada
contra ele.

Enxuga-me, Luís, esse relento de alma,
que o osso o melhor é contorná-lo.

Alexandre O'Neill
Margarida Araújo enviou-me esta fotografia tirada na Praça das Caldas.
A Alexandre O'Neill, tomei de empréstimo o poema Ossos, publicado na sua Poesia Completa (edição Assírio & Alvim)

1 comentário:

Luis Eme disse...

gostei da fotografia e do poema, ou seja,

das imagens e das palavras da Margarida e da Isabel (O'Neill).