Partilhando leituras

Livros sobre Caldas da Rainha, Rainha D. Leonor, Bordalo Pinheiro, caricaturas,

cerâmicas, gatos e algo mais...

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Dia Mundial do Livro - 23 de Abril

[D. João II e a sua mulher D. Leonor, acompanhados por figuras das coroa. Cada soberano tem diante de si um livro aberto. Xilogravura a ilustrar a “Vita Christi”, livro custeado pela Rainha D. Leonor. (In: História da Edição em Portugal, Vol I, Artur Anselmo)]
O "Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor" é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril, dia de São Jorge.

Esta data foi escolhida para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas UMA ROSA VERMELHA DE SÃO JORGE (Saint Jordi) e recebem em troca, UM LIVRO.

Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, e Inca Garcilaso de la Veja exactamente a 23 de Abril.

É igualmente a data de nascimento ou morte de outros autores proeminentes como Maurice Druon, K.Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

Caldas da Rainha está intimamente ligada à história do livro em Portugal.

Essa ligação é estabelecida pela Rainha D. Leonor, a senhora das Misericórdias, e por Gil Vicente, o grande senhor do teatro português.

E isto porque, datado de 1495, “Vita Christi” é a primeira obra em língua portuguesa executada em Lisboa, pelo processo tipográfico. Obra em 4 volumes, impressa por Valentim Fernandes e Nicolau da Saxónia, deve a sua existência ao querer da Rainha D. Leonor.

Quanto a Gil Vicente, o senhor dos ditos irreverentes, o único espaço com memória das suas palavras, é a Igreja de Nossa Senhora do Pópulo, a pequena jóia arquitectónica da nossa cidade, onde foi representado perante a Rainha o Auto de S. Martinho.

A Loja 107, não querendo deixar de assinalar tal data, propõe-se marcar tal data com a presença dos escritores / ilustradores caldenses.

Assim, convida os escritores caldenses, a aparecerem na sua esplanada Literária, no dia 26 sábado (na impossibilidade de o fazer do dia 23, dia de trabalho), e convida-os a escreverem um pequeno texto, evocativo da data (Tema: Um livro da Minha Vida, até um máximo de 3500 caracteres) a publicar na Gazeta das Caldas, numa página dedicada a esta efeméride.

E porque as ilustrações são sempre complementares da escrita, convidamos também os ilustradores a juntarem-se a nós. A sua arte será publicada a par dos textos.

Simultaneamente, propomo-nos fazer, em colaboração com o PH – Associação Património Histórico, uma promoção dos livros editados sobre as Caldas da Rainha.

E porque a partilha de Livros pode ser também um acto de solidariedade, a Loja 107, efectuará um desconto de 10% a todos os clientes em troca da oferta de um livro infantil usado.

Esses livros infantis destinam-se à Associação Padrinhos de Portugal, que tem por finalidade o auxílio a crianças do mundo da língua portuguesa.

Promovida pela Associação Comercial (ACCCRO) espera-se a visita da Senhora Rainha D. Leonor e de Mestre Gil Vicente à nossa cidade.

Partilhar livros e flores, nesta primavera, é prolongar uma longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão.


Loja 107, uma casa de livros, partilhando leituras

1 comentário:

Luis Eme disse...

excelente iniciativa... para variar...