CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



quarta-feira, 27 de junho de 2007

79.ª Página Caldense

À LAREIRA DO PASSADO
EDUARDO SCHWALBACH


" Não era só no trabalho e na conversa que a graça irrompia da sua fértil imaginação; um relance de olhos bastava para o sugestionar e a prova está no seguinte episódio. Anos seguidos frequentei as Caldas da Rainha, e nalgumas noites, finda a cavaqueira no Parque, o Rafael vinha acompanhar-me até casa, na rua do Capitão Filipe de Sousa, antiga "do Cabo da Vila" por ser da vila ali o termo. Numa delas, antes de nos despedirmos, parámos ainda a dar à língua quando, de súbito, olhos fitos no letreiro da rua fronteiro à minha porta, com um sorriso manhoso, me diz com toda a gravidade "Ó Schwalbach, você não acha uma injustiça este capitão Filipe de Sousa há tantos anos sem ser promovido?". Apoiei, a rir, o reparo. E ele, continuando, "Amanhã eu te direi, vais ser promovido!". Acercou-se do letreiro do azulejo, tomou certas medidas e... "Até amanhã!". Para resumir, na noite seguinte sacou dum pedaço de papel, um pincelito, uma pouca de massa e onde se lia capitão apareceu major, a jogar na perfeição com o resto do letreiro. Num abrir e fechar de olhos lá estava Rua do major Filipe de Sousa: eu meti-me em casa e o Rafael safou-se para a dele. Ali pelas nove horas da manhã começou a dar-se pela promoção - borborinho, protestos indignados, "Patifaria!" "Pouca vergonha!" "Desaforo!" "Quem seria o autor da gracinha?" "Quem seria o atrevido?". Arrancou-se o galão, lavou-se o azulejo e o major baixou ao seu antigo posto. Já lá vão 56 anos!
Sic transit gloria majoris!"


(Eduardo Schwalbach caricatura de Rafael Bordalo Pinheiro, publicada na Ilustração Portuguesa n.º 712, de 13 de Outubro de 1919)

[À Lareira do Passado, Edição de Autor. Ano de Edição: 1944. 398 páginas mumeradas + capas. 2 extratextos reproduzindo ilustrações de RBP. Composiçao e impressão das Oficinas Gráficas da Empresa Nacional de Publicidade, Avenida da Liberdade, 266, Lisboa.]

Esta página Caldense é especialmente dedicada ao amigo Zé Ventura, a quem no outro dia encontrei na companhia de Eduardo Schwalbach.

1 comentário:

Paulo G. Trilho Prudencio disse...

Olá. Mas que história mais deliciosa. Obrigado. Abraço.