CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



sexta-feira, 15 de maio de 2009

381ª. Página Caldense

[Hospital e Balneários Rainha D. Leonor. Caldas da Rainha]
[Postal edição de Fernando Daniel de Sousa]

15 de Maio


"Em 15 de Maio os principais empregados do hospital vão a casa do sr. administrador do mesmo, que com eles e mais amigos particulares se dirige à igreja onde fazem uma breve oração, e logo percorrem as enfermarias, no que, condescendente o chefe superior permite que assistam a esta cerimónia toda a pessoa decente. Nesta ocasião quão interessante seria o primeiro empregado do estabelecimento com o bastão ou tradicional bengala da Rainha D. Leonor! Mas esta jóia, como outras de prata que deixou no templo desapareceram pelo descuido ou muito cuidado dos antigos provedores e até de outros deste século. Contudo, ainda que não com tanta pompa como antigamente, é para ver certa dignidade que revela este acto da inauguração, pois na frontaria interior de cada uma das enfermarias costuma haver uma cadeira e uma mesa, que uma ou outra, ou as duas, conforme o gosto ou tempo dos empregados subalternos, por estes que se acham no seu ponto respectivo, estão adornadíssimos com bordados tapizados, isto é, de engenhosos desenhos e até fábulas, matizados com folhada e pétalas das mesmas flores e ervazinhas, tirando destas grande partido fazendo-as figurar tecidos de rico veludo. Nestes trabalhos costuma campear, por gratidão e carinho, o nome do digno Administrador. Este senhor oferece raminhos de fliores a vários assistentes a esta linda cerimónia, na qual, e recoridos todos os departamentos que respiram asseio imelhoravel, se declara inaugurada a benéfica e ansiada estação dos banhos neste Hospital. Em seguida na sala do Club há baile público, divertimento de que aproveita muita gente, e com mais distinção pela noite, que torna a repetir-se, e este é chamado «baile de casa». [...]
[Buvete termal (século XIX) e painel joanino (século XVIII) na "Casa da Copa"]
[Hospital Termal da Rainha D. Leonor]


O dia da abertura do Hospital é uma espécie de festividade de bastante folguedo e alegria para os demais habitantes da Vila por começar-se a colheita de lucros: que se bem com seu trabalho, lhes proporciona os banhistas, concorrentes, entre eles muitos espanhóis. Neste dia também está muito concorrida a Mata e o Passeio, onde se notam cada ano mais as melhores que a necessidade e o bom gosto sugerem ao digno actual administrador.".[...]

[in: Origem do Real Hospital e da Vila das Caldas da Rainha, por D. Luis Vermell y Busquts, 1878]

1 comentário:

Luis Eme disse...

as coisas que se faziam no dia 15 de Maio, Isabel...