CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



domingo, 30 de setembro de 2007

160.ª Página Caldense

UM BALNEÁRIO PORTUGUÊS
DO FIM DO SÉCULO XV (Caldas da Rainha)
FERNANDO DA SILVA CORREIA

[...] "O Hospital era formado por um grupo de construções feitas sobre as nascentes de água termal, a oeste da igreja, que ainda actualmente se conserva, com algumas modificações.

A entrada principal era do lado da Praça da Vila, correspondente ao actual Largo D. Leonor. A Porta era rendilhada em estilo manuelino, com as armas da Rainha. Junto da porta e à esquerda de quem olhava o Hospital, havia uma sineta, a "campa", que servia para chamar os empregados do Hospital ao seu serviço. Uma arcaria aguentava uma varanda, que dominava a frontaria do edifício de um e outro lado da porta. O corpo central das edificações era ocupado por enfermarias. À esquerda havia um edifício mais alto terminado por um alpendre com colunas, donde se avistava todo o balneário e o resto da vila.[...][Pág. 6 e 7]

[Coimbra. Imprensa da Universidade. 1928. 14 Páginas numeradas + Capas. Comunicação feita no Congresso Luso-Espanhol para o Avanço das Sciências de Coimbra. Este exemplar apresenta na folha uma dedicatória do autor "Ao seu Exmº Colega e Amigo Sr. Dr. António Lupi Telles de Sampaio". Exemplar encadernado a pele.]

Sem comentários: