CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



domingo, 3 de fevereiro de 2008

232.ª Página Caldense

NOTICIAS DO QUE FOI HONTEM E DO QUE É HOJE A VILLA DAS CALDAS DA RAINHA
SILVANO ARMANDO LOPES

[...]
"Em 1808 o nosso hospital achava-se quasi repleto de soldados francezes, que de differentes pontos aqui recolhiam para tratamento e tantos eram, que muitos enfermeiros e outros empregados eram francezes, porque não só se entendiam, como não se fiavam no carinho Caldense.

Como se sabe eram muito mal recebidos, o seu comprtamento era o mais desregado possivel e tanto, que constantermente eram ameaçaos e se alguns escapavam ao castigo era devido ao número, contudo apesar d'elle quantos pagaram com a vida a sua ousadia, o que não era favor que se lhes fazia era justiça.
[...]
Que actividade, que desejo de sangue, a divisão entrou no dia 5 [Fevereiro de 1808] nas Caldas e no dia 8 haviam mettido na cadeia promptos a morrer 10 homens; no dia 9 o Juiz de Fora teve ordem para intimar 6 Padres (só appareceram 4 e tarde) para confessar os criminosos, na cadeia, ás 10 horas 3 carros e alguns homens de enxadas para servirem de coveiros; ás 11 horas já as victimas iam caminhando para o campo do Burlão, onde depois esteve uma praça de touros e hoje está arborisada sendo praça de mercado.

Foi n'este campo [campo do Borlão] e naquele dia, [9 de Fevereiro] que nasceu o lucto para todos os Caldenses; foram 9 as víctimas porque um feliz acaso salvou a vida ao cirurgião, mas não sem passar grandes trabalhos; este cirurgião foi preso por um capitão portuguez, para isso obrigado, que o conduziu á cadeia, mas enquanto arranjavam a enxovia poude o preso saltar por uma janella e apesar de ter despedaçado uma perna, na quéda, poude enconder-se núma cavallarice, Thomiers então sentenciou o capitão portuguez a morrer fusilado caso o cirurgião não fosse achado, taes pesquizas, taes diligencias, que foi encontrado escondido n'uma mangedoura cheia de fome de 24 horas, com a perna enchada e negra, com signaes de grangrena; foi levado para o hospital e tratado estando por alguns dias muito proximo da morte; pouco tempo depois foi levado numa padiola ao lugar do Borlão, coberto por uma sarapilheira, mas o príncipe Salm Kirkurg, alistado no exército francez, implorou a a Thomiers e Loison caridade e tanto pediu que estes generaes retardaram-lhe o supplicio para quando estivesse melhor da perna, continuando o curativo no hospital, sendo guardado á vista por uma sentinella; assim esteve mais d'um mez por fim poude escapr-se, devido ao relaxamento das ordens dadas ás sentinelas a ao péssimo serviço déstas. O sr. Carlos Pinto d'Almeida attribue aquella intervensão ao principe Salm Kirkurg aos Homens da Cruz Vermelha que lhe imploraram protecção.

Estes excellentes generaes levaram o requinte da malvadez a obrigarem o Juiz de Fóra, os camaristas, differentes pessoas principaes da villa a assistirem áquelle assassinato, o regimento do Porto também foi obrigado a assistir desarmado e a divisão franceza de armas carregadas. [...] [Pág. 42, 44 e 45]

[Noticia do que foi Hontem e do que e Hoje a Villa das Caldas da Rainha. Extracto do compromisso de D. Leonor. Aguas das Caldas, sua composição e uso. Noticia sbre a Villa dObidos. Censo do distrito administartivo de Leiria. Pelo caldense Silvano Armand Lopes. Minerva Central. Largo do Pelourinho, 14/15, Lisboa. Abril de 1883. Dimensões: 14 cms x 20,60 cms. 95 páginas numeradas + extratexto + índice + folhas de guarda + capas cartonadas.]

Nota: Pergaminhos das Caldas: "Silvano Armando Lopes, oficial do exército, era oriundo de uma família caldense. Seu imão Acelino Augusto Lopes exerceu a actividade de farmacêutico nas duas décadas finais do século. Noutro local, Fernando Correia apresenta Silvano, como médico, o que não pudemos confirmar. Em Janeiro de 1891 surge nas Caldas, exercendo o lugar de médico municipal em regime de substituição, um Adriano Augusto Lopes que supomos irmão dos anteriores. [N.C.E.]"

O meu agradecimento ao Joaquim Saloio pelo empréstimo do exemplar que serviu de base a esta página caldense

1 comentário:

Luis Eme disse...

Gostei muito de te ler e de aprender mais qualquer coisa sobre as nossas Caldas.

abraço Isabel