CAVACOS DAS CALDAS II

DICIONÁRIO GRÁFICO BORDALIANO

alguns livros, cerâmicas, belos gatos e algo mais...



terça-feira, 6 de novembro de 2007

188.ª Página Caldense

ANEDOTAS E EPISÓDIOS DA VIDA
DE PESSOAS CÉLEBRES
LOURENÇO RODRIGUES

[...] "A sua fama atravessou fronteiras. o director de uma grande ilustração inglesa quis levar Rafael para Londres com um ordenado faustoso. Não aceitou e, mais tarde, em uma das suas crises, confessou-se arrependido. Já com filhos, parte para o Brasil em 1875, onde é recebido com as maiores honrarias. Sempre amigo de fazer partidas, uma delas deu brado no Brasil.

Vale a pena contar. O Imperador do Brasil, assim que chegava ao Teatro, metia-se no camarote, e descalçava as botas, calçando regaladamente uns chinelos. Uma noite, o nosso Rafael teve a ideia de abrir a cortina do camarote e roubar as botas ao Imperador que não se desconcertou. Saiu em chinelos, cumprimentou a multidão que o vitoriava e meteu-se na carruagem ... de chinelos."



[Sua Majestade o Imperador do Brasil - Maio de 1880

Álbum das Glórias]

"No Brasil, as mulheres adoravam Rafael mas os políticos não morriam de amores por ele. Um dia, um senador da Câmara, declarou que a sua Pátria acolhia de bom grado os portugueses, quando eles iam de jaleca de briche de trinta botões oferecer o seu trabalho e não precisava de janotas que pagassem a hospitalidade com o escândalo.

Dois dias depois, Rafael Bordalo aparecia em plena tarde na concorrida Rua do Ouvidor, com um extravagante casado de mescla azul e branco e abotoado com trinta exagerados botões. A capital carioca não falou de outra coisa." [Pág. 144]


[Anedotas e Episódios da Vida de Pessoas Célebres. Lourenço Rodrigues. Livraria Popular de Francisaco Franco. Rua de Barros Queirós, 14-18 - Lisboa. Sem data de edição]

1 comentário:

Luis Eme disse...

Rafael era um desalhinhado cheio de irreverência, que felizmente transportou para a arte...