Partilhando leituras

Livros sobre Caldas da Rainha, Rainha D. Leonor, Bordalo Pinheiro, caricaturas,

cerâmicas, gatos e algo mais...

quinta-feira, 31 de julho de 2008

297.ª Página Caldense


TÉCNICAS TRADICIONAIS DA CERÂMICA DAS CALDAS DA RAINHA
HERCULANO ELIAS

[...] A cerâmica é um dos processos plásticos mais contaminados pela força de acção directa do Homem. Desde a sua tecnologia, à realidade de uma técnica de formulação, chegando ao termo de um espectáculo esplenderoso, a cerâmica vive de um trabalho devotado, do firme apoio da paciência, da realidade imaginatiuva e da investigação do Homem - e dessa maravilha de destreza, de alegria e de rigor que é a mão. [Página 7] [...]

[Técnicas Tradicionais da Cerâmica das Caldas da Rainha. Herculano Elias.Património Histórico - Grupo de Estudos. Colecção: Testemunhos N.º 1. 1.ª Edição Dezembro de 1996. Tiragem: 600 exemplares. 32 páginas + capas. ISBN 972-8154-09-7.]

sábado, 26 de julho de 2008

Fórmula de Quem?

Ilustração de Claude-Henri Saunier
Éditions Cartes d'Art (Postal)

296.ª Página Caldense

UM ASPECTO NACIONALISTA DA ARTE PORTUGUESA DO SÉCULO XIX
MANUEL PEDRO DE OLIVEIRA DO RIO-CARVALHO

[...] Resumindo, direi que as composições decorativas Arte Nova, apresentam aspectos que não encontramos na "Art Nouveau".

Assim, em primeiro lugar, um volume e consequentemente uma profundidade, "a gordura e espessura portuguesíssimas" opondo-se às decorações francesas com pouco volume, chatas, mal sobressaíndo do fundo e identficando-se com ele.

Em segundo lugar, uma grande concentração de decoração em certos pontos - janela, portas, varandas - deixando grandes espaços por decorar.

Em terceiro lugar, o emprego do azulejo, como elemento decorativo, que procura superar a falta de dinamismo nas construções.

E em quarto lugar uma temática própria de Portugal, não os cabos marítimos propostos por Baldaque da Silva, não a espiga proposta por Raul Lino, mas uma flor virada, com o caule por principal elemento decorativo, como se pode observar em vários prédios da capital e ainda em algumas peças de cerâmica de Rafael Bordalo Pinheiro." [Página 9]

[Um Aspecto Nacionalista da Arte Portuguesa do Século XIX. Manuel Pedro de Oliveira do Rio-Carvalho. Associação Portuguesa para o Progresso das Ciências. (Comunicação apresentada à 7.ª secção do XXIII Congresso Luso-Espanhol. Coimbra 1956). Separata do Tomo VIII das Publicações do XXIII Congresso Luso-Espanhol., 1 a 5 de Junho. Coimbra. 1957. Dimensão: 18,00 x 25,30 cms. Composto e impreso nas Oficinas da Gráfica de Coimbra. 12 páginas + capas]

A Leitora

LA LISEUSE
FÉLIX VALLOTON

Os meus agradecimentos à Isabel Tomás pela partilha desta leitora.

295.ª Página Caldense

GRANDELA E A FOZ DO ARELHO
VASCO TRANCOSO
[...] "Grandela partilhava com o seu amigo Bordalo Pinheiro um encantamento pela região Caldas-Foz do Arelho.

Descobriu a Foz do Arelho nos últimos anos do século XIX, quando frequentava as Termas das Caldas, por conselho médico, para recuperar de uma fractura numa perna." [...][Página 39]

[Grandela e a Foz do Arelho. Vasco Trancoso. PH - Património Histórico, Grupo de Estudos. Colecção Cadernos de História Local, númeo 6. 1.ª Edição 1994. Tiragem 1000 Exemplares. ISBN 972-8154-03-8]

sexta-feira, 25 de julho de 2008

294.ª Página Caldense


BORBOLETA PÚRPURA
O PEQUENO GRANDE MUNDO
CATARINA PARAMOS
[...)"Os mais crescidos dizem-me para contar a alguém os sonhos maus que tenho, para que eles não se realizem. Quero contar o meus Sonho, para que ninguém, em parte alguma do mundo, sonhe alguma vez com ele." [...]

[Borboleta Púrpura. Catarina Paramos. Obra vencedora do Prémio Literário Luiz Teixeira, atribuído pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha. Março de 2004. Edição; Câmara Municipal das Caldas da Rainha, com o apoio da Universidade Autónoma de Lisboa. Tiragem 500 Exemplares. ISBN 972-99014-3-0]

Tentação

Azulejos do século XVII. Palácio Fronteira
Foto: David de Abreu (Postal)

sábado, 19 de julho de 2008

Governo Cria Imposto Robin Hood


AS ALBARDAS

"Se hoje vivesse, diria
O nosso grande Bordalo:
- Ora até que finalmente
Começaram a al'ivial-o!"

[O SÉCULO - Supplemento Illustrado. 24 de Novembro de 1910 - Décimo Quarto Anno, nº. 681. Director: Acácio de Paiva. Ilustração: Moraes]

A Visitar

Com a participação da Margarida Araújo

293.ª Página Caldense

JOSÉ LEITE DE VASCONCELOS
FOTOBIOGRAFIA

Excursão a Óbidos, Lourinhã, Caldas
Autógrafo de Leite de Vasconcelos, de um diário de uma viagem a Óbidos, Lourinha e Caldas da Rainha, em Fevereiro de 1909
[Página 190]
Leite de Vasconcelos na varanda da sua casa na Rua D. Carlos de Mascaranhas, com uma das suas gatas ao colo, a D. Loba.
[ Página 246 ]
Autógrafo de Leite de Vasconcelos sobre os seus gato [Página 246]

"São duas gatas toda a domus meã,
Não tenho neste mundo mais ninguém!
Feliz ou infeliz, sem outra ideia,
Sem mais algum cuidado, mal ou bem.

Cá vou tão longe d´ellas, Rêno fóra...

Como num sonho longo e vaporoso,
Ó Reno, tu me prendes e arrebatas:
Horas de paz, indefinível gozo,
O céu na terra... mas as minhas gatas?"
[José Leite de Vasconcelos, No Reino]
[Página 246]


"D. Loba morreu! O único amor que eu tinha,
Que doce me tornava e alegre a vida minha,

Vivo sempre tão só, que a inocência animal
Basta p´ra consolar-me às vezes no meu mal."
[José Leite de Vasconcelos, Elegia Panteística]
[Página 246]

[José Leite de Vasconcelos, Fotobiografia. Autores: Lívia Cristina Coito, João Luís Cardoso, Ana Cristina Martins. Museu Nacional de Arqueologia / Verbo. 1.ª Edição. Maio de 2008. Tiragem 1000 exemplares. ISBN 978-972-776-366-5]

domingo, 13 de julho de 2008

292.ª Página Caldense

LA PRESSE PERIODIQUE EM PORTUGAL

[...] "Parmi les nombreuses publications de critique des moeurs et des gens, ressortent les Farpas, de M.M. Eça de Queiroz et Ramalho Ortigão, et celles qui, depuis le Binoculo, la Berlinda, le Calcanhar d'Achilles et la Lanterna Magica jusqu'aux feuilles hebdomadaires O Antonio Maria et Pontos nos ii, ont été la manifestation d'un art jusqu'alors presque inconnu en Portugal - la caricature - et l'affirmation d'un fécond génie artistique qui brillerait en tout pays, Raphael Bordallo Pinheiro."[...] [Página IX, artigo assinado por Alfredo Cunha]

[La Presse Periodique en Portugal. Bref Mémoire Présenté au Cinquiéme Congrès International de la Presse, à Lisbonne. Hommage du Diário de Noticias, de Lisbonne. Septembre 1898. Folheto com XVII páginas numeradas + capas. Dimensões: 18,50 x 26 cms. Repoduz na capa o mais antigo jornal português publicado em 1641.]

Reportagem Fotográfica 6

Mia Couto
Profs. David Justino, Pedro Tavares de Almeida, João B. Serra e Luis Salgado de Matos
Júlio Magalhães

Teresa Perdigão e Agneta Bjorman

sábado, 12 de julho de 2008

291.ª Página Caldense

P U U U U M M M M M M ! ! ! ! .......
GRANDE HOTEL LISBONENSE
CALDAS DA RAINHA
[postal circulado com carimbo dos CTT datado de 5 de Setembro de 1921]

terça-feira, 8 de julho de 2008

Comércio e Cultura

ORGANIZEM-SE!
A GESTÃO SEGUNDO FERNANDO PESSOA

"A actividade comercial chamada comércio, por mal vista que esteja hoje pelos teoristas das sociedades impossíveis, é contudo um dos dois caracteristicos distintivos das sociedades chamadas civilizadas. O outro característico distintivo é o que se denomina cultura. Entre o comércio e cultura houve sempre uma relação intíma, ainda não bem explicada, mas observada por muitos. É, com efeito, notável que as sociedades mais proeminentemente se destacaram na criação de valores culturais são as que mais proeminentemente se destacaram no exercicio assíduo do comércio. Comercial, eminentemente comercial, foi Atenas. Comercial, eminentemente comercial, foi Florença.

A relação entre os dois fenómenos é ao mesmo tempo de paralelismo de causa e efeito. Toda a vida é essencialmente relação, e a vida social, portanto, é essencialmente relação entre os indivíduos, quando simples vida social; e entre povos, quando vida civilizacional. [...] Segue que uma sociedade com um alto grau de desenvolvimento material e mental e, portanto, com um alto desenvolvimento da vida de relação, forçosamente será altamente comercial e altamente cultural, paralelamente." [Página 104/105]

Fernando Pessoa

[Organizem-se. A Gestão Segundo Fernando Pessoa. Edição de Filipe S. Fernandes. Oficina do Livro. 1.ª Edição Outubro de 2007. ISBN 978-989-555-315-0]

Cartoon À Inglesa

DICTIONARY OF BRISTISH CARTOONISTS AND CARICATURISTS
1730 - 1980

[Dictionary of British Cartoonists and Caricaturists 1730 - 1980. Compiled by Mark Bryant and Simon Heneage. Scolar Press. England. 1994. ISBN 0 85967 976 4]

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Libertos das Cordas


"Os gatos são umas criaturas misteriosas. Passam-se mais coisas dentro das cabeças deles do que imaginamos."
Sir Walter Scott

terça-feira, 1 de julho de 2008